Botafogo-PB ou Sousa? Treze avalia possíveis adversários, e Marcelinho Paraíba crava: “Estamos prontos”

Faltando apenas uma rodada do Grupo A para ser finalizada a primeira fase do Campeonato Paraibano Pixbet 2022, o Treze está prestes a conhecer seu adversário da repescagem, e as possibilidades são apenas duas: Botafogo-PB ou Sousa. As equipes lideram a chave, e um deles será 1º e o outro 2º colocado; quem ficar na segunda colocação enfrentará o Galo no primeiro mata-mata do estadual. E o técnico trezeano, Marcelinho Paraíba, garante que seu time está preparado para qualquer um dos adversários.

Sousa e Botafogo-PB têm 14 pontos e não não pode mais ser alcançados por São Paulo Crystal, que está em terceiro, com 10 e não joga mais nesta fase, nem pelo Auto Esporte-PB, que está em quarto, com oito e ainda pode entrar na zona de classificação. A questão para o Treze é mesmo saber se Dino ou Belo será o segundo colocado.

Os dois possíveis adversários do Galo têm campanhas muito semelhantes. Cada um fez sete jogos, venceu quatro, empatou duas e perdeu apenas uma. A única derrota de cada foi justamente no confronto direto com o outro. O Sousa tem uma breve vantagem por ter seis gols de saldo, um a mais que o Botafogo-PB.

Na próxima quarta-feira, as duas equipes farão seu último confronto nesta fase de grupos: o Sousa enfrentará o Auto Esporte-PB (que ainda tem chance de se classificar na terceira colocação), e o Botafogo-PB duelará com o já rebaixado Atlético-PB.

O técnico Marcelinho Paraíba disse que o Treze está pronto para quem vier.

— No momento, não podemos escolher. Temos que estar prontos, estamos prontos para o adversário que vier. O Sousa é uma equipe dificílima de vencer, principalmente jogando em seus domínios, e o Treze já vem de um tabu de muitos anos. Mas é esquecer o que passou. O que vale é o hoje, o agora, e, se for o Sousa, vamos para lá em busca da classificação, da vitória. Se for o Botafogo-PB, da mesma forma. Vamos estudar o adversário ainda nesta semana, temos tempo — afirmou Marcelinho.

Marcelinho assumiu o Treze na metade da primeira fase do Estadual — Foto: Cassiano Cavalcanti / Treze
Marcelinho assumiu o Treze na metade da primeira fase do Estadual — Foto: Cassiano Cavalcanti / Treze

O tabu a que Marcelinho se refere é de quase 12 anos sem vencer o Sousa no Estádio Marizão, em partidas do time profissional. Caso o Treze enfrente o Dino na repescagem, terá que quebrar esse tabu, já que a partida única será na casa da equipe sertaneja, que terá se classificado numa melhor posição que o Galo.

A Federação Paraibana de Futebol (FPF-PB) ainda não divulgou oficialmente as datas dos jogos da repescagem, mas a tendêcia é que as partidas dessa fase aconteçam nos dias 13 e 14; ou seja, o Treze tem cerca de 10 dias de preparação até o confronto decisivo, tempo que é de extrema importância para o comandante do Alvinegro.

— É bom, porque eu não tive esse tempo quando assumi o Treze nas duas primeiras partidas. Já contra o CSP tivemos uma semana cheia para trabalhar e foi bom para mim, para conhecer as características de cada atleta e a formação que eu gostaria de ter. Eu precisava conhecer cada jogador, e esse tempo foi importante para mim, como vai ser agora também no jogo contra Sousa ou Botafogo-PB. Tenho esta semana para treinar, para recuperar alguns atletas e aprimorar algumas situações de jogo — disse.

O efeito Marcelinho

Marcelinho Paraíba assumiu o Treze exatamente no meio da primeira fase do Campeonato Paraibano. Antes da chegada dele, o Galo já havia disputado quatro partidas, com uma vitória, dois empates e uma derrota: um aproveitamento de 41,6%. Com o novo treinador, foram duas vitórias, um empate e uma derrota, um aproveitamento de 58,3%, ou seja, uma melhora de quase 17% nesses números.

Serão cerca de 10 dias até o próximo confronto do Treze no Paraibano  — Foto: Cassiano Cavalcanti / Treze
Serão cerca de 10 dias até o próximo confronto do Treze no Paraibano — Foto: Cassiano Cavalcanti / Treze

Após a chegada de Marcelinho, alguns reforços também chegaram, dando uma cara diferente ao time. E, segundo o técnico, apesar do tempo que tem até o próximo confronto, ele está satisfeito com o atual grupo, que deve seguir assim daqui para a frente.

— Não vou dizer que não vão chegar mais reforços, mas eu estou satisfeito com o grupo que eu tenho. Por mim, eu acho que não precisamos mais, pelo menos por enquanto. Nesta reta final do estadual, eu confio nos atletas que eu tenho em mãos e com esse grupo nós vamos até a final — finalizou o técnico.

Fonte: Globo Esporte/PB